TURISMO DE SAÚDE

 

 

“Turismo de Saúde constitui-se das atividades turísticas decorrentes da utilização de meios e serviços para fins médicos, terapêuticos e estéticos.” (Ministério do Turismo)

 Caracterizam-se pelos deslocamentos motivados em função do tratamento, cura, condicionamento e bem-estar físico e mental. Nesse segmento estão incluídos os spas, as clínicas naturistas e as estâncias termais e hidrominerais.

Historicamente o Turismo de Saúde deve à Grécia a criação das principais estâncias hidrominerais. Poetas famosos, como Homero e Píndaro, louvaram as propriedades dessa ou daquela água. Foi para atender ao grande número dos que procuravam a cura pelas águas, que se construíram as primeiras hospedarias e as "residências de verão" da aristocracia que passava temporadas próximo às fontes.

Quando do apogeu econômico-militar do Império Romano, houve entre os aristocratas de Roma, um grande desejo de evasão urbana, devido à superpopulação, o que os levavam a buscar locais mais calmos nos arredores das cidades.

Esse, entre outros motivos, foi o que originou a procura das termas, como a de Caracala, que propiciava lenitivo aos males físicos e psíquicos. O doente não se dirigia mais a qualquer fonte indistintamente e sim, procurava aquela que mais se adequasse ao seu mal. Por essa época as águas foram pela primeira vez classificadas e divididas em seis grupos.

Durante a II Guerra Mundial, o brasileiro sem meios para viajar ao exterior se viu obrigado a desenvolver suas atividades turísticas dentro do próprio país, procurando principalmente as estâncias hidrominerais que assumiram inclusive um papel importante na cura de determinadas doenças infecciosas.

Porém, a partir de 1945, com a difusão dos antibióticos, o Turismo Termal diminuiu sensivelmente deixando as estâncias de representar o papel preponderante de antes, como locais indicados para tratamento de saúde.

Nesse período surgiram as estâncias hidrominerais de Minas Gerais, Goiás e Santa Catarina.

No Paraná, entre as décadas de 60/70 foram exploradas como áreas de lazer, engarrafamento da água ou estâncias balneárias, lugares que hoje encontram-se desativados: Água Mineral Lambedor em Arapoti, Água Mineral Primavera no município de Doutor Camargo, Águas Minerais Santa Rosa em Coronel Vivida, Estância Hidroclimática Santa Clara então no município de Guarapuava e Termas Yara em Bandeirantes.

Quando as estâncias hidrominerais deixaram de representar um papel de destaque dentro do Turismo de Saúde, quase concomitantemente foram sendo substituídas pelos spas, cujo nome tem sua origem em Spa Francorchamps (estância hidromineral belga) que começaram a ser implantados na década de 90 em São Paulo, no Rio de Janeiro e também no Paraná, difundindo-se rapidamente impulsionados pela obsessão de "culto ao corpo" que se alastrou pelo mundo.

Os spas estão se tornando uma opção dentro do turismo no espaço rural do Paraná aproveitando principalmente as atrações turísticas dos municípios em que se situam, bem como as belezas naturais e o ambiente propício ao repouso. É também nesse espaço que surgem as Clínicas Naturistas que oferecem tratamento para desintoxicação, tonificação do organismo, reeducação alimentar, objetivando o equilíbrio físico com o psíquico, reciclando as funções orgânicas e conseqüentemente promovendo o bem-estar geral.